Tag : a louca dos gatos

Estou com este post guardado no rascunho durante um bom tempo. Sempre que pensava em escreve-lo ficava triste por um motivo bem simples : não consigo tirar uma foto descente da Kummy (minha gatinha mais velha e cinza) porque ela é bem brava e parece até que não gosta de ser modelo. Diferente desse gatinho todo pomposo da foto de capa desse post, mas não vamos adiantar os fatos né?! A Karine Britto me marcou nessa tag no ano passado e agora cá estou, meses depois para respondê-la como se não tivesse passado taaaanto tempo assim. A gente pode até demorar para responder as tags que as amigas marcam, mas nunca deixamos de postar! Agora vamos parar de falar da minha falta de disciplina para responder as tags e falar desses bichinhos mais cheios de amor, peludinhos e que ronronam!

1. Quantos gatos você já teve?

Durante toda a minha vida sempre tive gatos, lembro da minha infância em Belém de ter uma gata que mais parecia um cão de guarda. E, que os cachorros a temiam. Não tenho certeza de quantos eu tive ao decorrer de todo esse tempo, mas pelo que consegui lembrar acho que foram uns 9 gatos.

2. Sempre teve gatos?

Pelo visto, sou uma pessoa ansiosa e já antecipei a resposta na pergunta anterior. Sim. Sempre tive gatos. Sou gateira desde que nasci e me entendo por gente. ♥

3. Quantos gatos tem agora?

Atualmente tenho dois gatos. Kummy que é minha gata mais velha e tem três anos e Alfredo que tem menos de um ano.

4. Gostaria de ter mais?

Acredito que todo gateiro sempre gostaria de ter mais gatos. Mas infelizmente não tenho condições de ter outro gatinho. Fico feliz de ter conseguido um irmão para a Kummy porque sinto que ela precisava socializar melhor com outros bichinhos, então estou feliz de ter dois.

5. O que determina o número de gatos? Dinheiro, espaço, tempo, pessoas com quem divide a casa?

É tudo isso junto! RISUS! Por mim eu teria muitos gatos, mas um bichinho de estimação requer cuidado, dinheiro, tempo, espaço. É necessário levar ao veterinário, castrar, comprar ração, terrinha. Fora que por mais que os gatos sejam animais mais independentes que cachorros, eles requerem atenção também. Eles também sentem saudades. Prova disso foi quando viajei com o Brayan e voltamos das férias e a Kummy estava em um grude que só!

6. Já resgatou gatos da rua? Quantos?

Sim! Esse gatinho da foto acima é o Alfredo. Certo dia voltava do trabalho e vi um gatinho perto da minha casa na calçada. Vi um homem fazendo carinho nele e indo embora. Perguntei se o gato era dele e ele respondeu que não. Perguntei então para a senhora que estava olhando para a rua de sua casa e ela também disse que não. O Brayan já sabia de certa forma o que eu faria a seguir. E me perguntou com aqueles olhos “você quer levar ele pra casa?!” e eu imediatamente disse que “sim!”. Tentei colocá-lo para a adoção e minha prima que estava nos Estados Unidos disse que gostaria de ficar com ele depois que voltasse e o batizou de Alfredo.

Bom, pelo que vocês podem imaginar o Alfredo (fedo, fefedo, alfredin) não ficou com a Ágatha. Fora que ela demorou pra voltar e ele já estava muito inserido na nossa rotina e na nossa vida para poder colocar ele em outra casa. Por isso, nos fins das contas o Alfredo ficou com a gente. E estamos muito felizes com isso, porque sempre desejamos um irmão para a Kummy!

7. Já passou apuros por ser a louca dos gatos?

Nunca passei muito apuros para falar a verdade. Já passei por algumas situações engraçadas como uma cliente levando um gato para a loja e perguntando para mim e para uma amiga gateira se algumas de nós gostaria de ficar com o gato. É claro que eu fico me sentindo esquisita se eu passar por um lugar onde eu vejo um gato abandonado. Mas apuros, apuros nunca passei.

8. Ajude as migas gateiras: marca de ração seca, marca de ração molhada, marca de areia, brinquedo preferido.

Areia geralmente é o Brayan que compra e ele compra a que estiver mais barata no momento. Nunca paramos muito para pensar na marca da areia. Depois que castramos a Kummy passamos a nos preocupar em dar uma ração mais natural e apropriada para ela. Mas de novo, não somos apegados a marca. Por isso, vou ficar devendo uma marca de ração seca para vocês ! E, por incrível que pareça a Kummy e o Alfredinho gostam de brincar com barbante e bola de alumínio. Mesmo o Brayan comprando brinquedinhos fofos para eles.

9. Miga, você se imagina virando ~a velha dos gatos~?

É claro que sim! Você não!? risus. Com toda certeza eu poderia ser a velha dos gatos.

Espero que vocês tenham gostado de saber um pouco mais dos meus amores (filhos♥). Sei que tem muita gente que  não entende a natureza do gato e como podemos gostar de gatos. O Brayan mesmo, antes da Kummy ficava falando que não gostava de gatos. Mas para mim, todos os bichinhos são sinônimos de amor. Para mim não existe uma resposta óbvia do tipo, uma coisa ou outra. Para mim é uma coisa E outra. Gosto de gatos e cachorros e tartaruga e cavalo e pássaro. Entende ?

Só que para mim é muito mais fácil ter gato, porque tive a minha vida inteira. Eles me entendem e eu entendo eles. Por isso amo tanto os felinos. Sei que tem não posto tanto meus bichinhos mas como falei é muito difícil para mim conseguir tirar uma foto descente deles, mas espero que vocês tenham gostado do post. Até a próxima!

com amor,
Clara Rocha.

10 comentários sobre “Tag : a louca dos gatos”

  1. que post mais adorável, gente
    Como eles são fofos♥
    Sou super gateira e , como você, sempre tive gatos. Amo e vou defendê-los para sempre rs
    Atualmente, tenho uma só, que tem quase 10 anos e é o meu amorzinho

    Obrigada por voltar a postar, Clara 😀

    1. Obrigada por vir aqui deixar esse comentário fofo e lindo <3
      Nossa que linda sua gatinha já é a rainha da casa né!? HAHAHAHA

  2. Delicia de post e de fotos!
    Amo gatos, só tive uma – que ficou pouquinho tempo com a gente porque teve cancer 🙁 – mas foi o suficiente pra me apaixonar eternamente por esses bichinhos… Minha mãe ficou muito chateada por ter que ter deixado tudo nas minhas mãos quando Amelie adoeceu – eu estava de férias e ela trabalhando, então ela morreu comigo na veterinária – e não quer adotar outros, mas ainda convenço ela- e, se não, quando tiver minha casa terei outros!
    Amei o post!
    Beijos!

    1. Nossa eu tive uma gatinha que era MUITO apegada a mim. A Mel e quando ela morreu eu chorei tanto, nunca tinha amado tanto um gato. Porque aquela era a primeira gatinha que era MINHA de verdade sabe ? Agora graças a deus a kummy e o alfredinho estão aqui para fazer companhia pra gente e nos amar muito.

  3. Estou para visitar teu blog há um tempão e finalmente esse dia chegou e claro que esse foi o primeiro post que eu cliquei neh? Seus bebês são lindos e amei as histórias. Também tenho duas felinas, Amélie e Lola e já estou aqui assanhadíssima para responder essa tag. Seu blog é muito bonito, parabéns. Beijos.

  4. aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa que post mais lindo! tô apaixonada pela kummy e pelo alfredinho, novo integrante do lar, e já quero apertar muito os dois (mesmo que a kummy fique brava, HAHAHA). adorei suas respostas, miga! que bom que respondeu a tag e fez essas fotos lindas <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.