Por que e para quem escrevo ?

Começamos nossa Segunda-feira com uma pergunta difícil de ser respondida de imediato. Um questionamento que leva sempre para outro questionamento. Por que e para quem eu escrevo ? Esse foi o tema proposto no grupo do Vai um café ? Um tema que me faz para refletir sobre o quanto eu posso atingir o próximo e até mesmo a mim mesma. Uma recorrente na minha vida, afinal não lembro de não estar escrevendo em nenhum momento. Escrever faz parte de quem eu sou.

Penso que quando comecei a escrever nos primórdios da minha adolescência eu escrevia apenas para mim. Não tinha um objetivo específico, eu só queria eternizar os momentos em meu diário. Era quase como reviver tudo um segundo depois de viver, de fato. Guardava esses segredos em um papel colorido e escrevia letras de músicas que na época faziam totalmente sentido para mim. Fomos então, para fase seguinte. Uma fase coroada por ações, criações, imaginação e invenções. A fase de que eu escrevia para completar uma história.

Quem se lembra da época do fake ? Será que alguém aqui tinha um ? Eu era totalmente viciada nessa realidade virtual que você inventava. Escrevia e escrevia durante horas histórias; criava personagens, fazia ações e quando enjoava daquilo tudo excluía e fazia um outro personagem. Um RPG incrível. Já fui vampira, homem, mulher, filha, mãe, amiga, namorada. Nessa época  eu escrevia para escapar. Então, depois de muitos anos e muitos acontecimentos eu dei adeus a essa fase.

Eis, que chego aqui no blog. Eu sempre tive blog, inúmeros nomes mas o hábito sempre esteve ali. Até criar este blog, um blog para eu me distrair um pouco da rotina pesada que é trabalhar em um shopping. Um blog para expor minhas ideias, meus anseios. Um blog para compartilhar experiências e gostos.

Ainda sim, depois de tanto tempo escrevia para mim.

Até o momento em que tudo mudou.

Até o momento em que descobri o porque eu faço o que faço, o que me motiva, qual o meu objetivo. Entendi que era egoísta de mais pensar que eu escrevia apenas para mim e para me libertar. Descobri o poder de influenciar muitas outras mulheres e como isso mexeu comigo.

Nunca imaginei que o que eu escrevo poderia ajudar tantas pessoas, até mesmo incentiva-las, saber que estou aqui no Rio de Janeiro mas que posso ajudar alguém de Belém do Pará.Você pode até achar cansativo eu sempre falar da transição capilar, mas até hoje eu recebo emails emocionados contando como eu ajudei a passar por essa fase. Você consegue entender a dimensão do poder que nós temos ? O poder que a escrita tem ? Na minha vida e na vida das outras pessoas.

Hoje eu entendi que tenho um propósito muito maior do que eu imaginava quando criei o blog, o que antes era brincadeira, hoje virou uma fonte de força, de inspiração, de informação, de busca e experiência para mim. Acredito, que o objetivo que eu tinha inicial se transformou em algo maior. Hoje quando penso em escrever, eu quero mexer com alguém que está ai do outro lado, quero ajudá-lo de alguma forma. Quero dizer “ei está tudo bem você se aceitar e aceitar seus cachos” ou “está tudo bem você não ter uma pele perfeita”, ou até mesmo “vamos com mais calma, os problemas existem mas estamos aí para encarar de frente”.

Foi a descoberta do poder que tem uma palavra que eu pude entender o meu propósito. E meu amigo, quando a gente descobre o que nos faz feliz, isso desencadeia um monte de outras coisas boas. Hoje posso dizer que escrevo porque não vivo sem essa forma de expressão. Escrevo porque vivo e vivo porque escrevo. Sou todo o contexto das inúmeras tentativas de buscar a felicidade nas coisas banais. E, acredito que hoje eu escrevo por mim, mas principalmente para vocês, pois quero tocar profundamente você. Amo saber que de alguma forma, tem alguém aí que se importa e com que compartilho. Amo saber que fiz parte do seu dia e trouxe alguma alegria para você.

Por fim, depois de todo esse texto, queria deixar um trecho de um livro que vem mexendo muito comigo e me feito refletir sobre o meu propósito no mundo :

“[…] Propósito tem a ver com intenção, com objetivo. É a declaração da diferença que você pretende fazer no mundo. É a resposta clara de por que você faz o que faz (como organização ou pessoa).” André Carvalhal, Moda com propósito, pag. 66

E você, por que e para quem escreve ?

Com amor,
Clara Rocha.

O tema proposto faz parte da postagem coletiva do projeto Vai um café ? ♥

30 comentários sobre “Por que e para quem escrevo ?”

  1. Que lindo, Clara! A forma com a qual a escrita te acompanhou durante as fases da sua vida… É isso, né? Escrever até se perder e depois se reencontrar na escrita. Reviver cada momento, decifrar cada sentimento…
    Quem não escreve não sabe o que está perdendo, né?
    Parabéns!

    Beijo 😉

    1. Quem não escreve não sabe qual a sensação de você poder colocar para fora tudo que está aqui dentro. <3 obrigada pelas palavras, que a escrita faça sempre parte e nos acompanhe durante todo o sempre.

  2. Puxa, Clara…como se escreve bem assim como você? ehehee
    Adorei,
    Realmente não tinha pensado muito sobre como podemos influenciar os outros e até assusta um pouco né?
    Cara, eu tive diario mas achei meio chato sei lá, dai comecei a escrever em cadernos mesmo e passei a poesia muito fácil depois veio os diarios virtuais..enfim;
    Lindo ver o mundo assim, lindo escrever vendo tantas possibilidades e mundos.
    Lindo texto, perfeito.
    Bjs

    1. Nossa eu amava ter diario Fe, era o maximo poder contar o que tinha acontecido, histórias que marcaram minha vida. Mas também tive cadernos, varios textos guardados no world tambem, kit.net blogger entre outros. Obrigada pelo carinho ❤️

  3. Eu também tive fakes. Também entrei nesse mundo virtual e fugir das frustrações que o mundo real me dava. Foi uma época muito boa e ainda hoje preservo alguns amigos do mundo fake. Seu texto foi muito lindo e completo e amei a forma como você finalizou, assinando. Ficou pessoal e deixou o texto ainda mais especial, além de combinar demais com a proposta. Muito bom , parabéns! xoxo ♥

    1. Serio que você teve fakes ? Que maximo, você tinha fake de que ? Sera que nos esbarramos nessa vida ? Também tenho amigos até hoje dessa época.

  4. Que lindo, Clara. Eu também sinto muito isso.
    No começo era mais pra me autoconhecer, pôr “no papel” minhas ideias, filtrar de alguma maneira o que eu sentia.
    Mas depois que a gente vê que pode influenciar de uma maneira boa que seja UMA pessoa apenas, tudo muda dentro da gente e a criatividade flui pra um bem geral. Tu sabe o quanto te admiro e espero que nunca pare. <3

    Um beijo no teu coração.
    Ps: tava com saudades de passar por aqui!

    1. Que saudades se você aqui B. Com certeza, saber que a gente pode ajudar apenas uma pessoa já muda completamente nossa vida. Eu sei o quanto ja chorei e me enocionei com comentários que recebi aqui. É pra por no papel as ideias mas é também pra ajudar ne?

  5. Clarinha, o texto ficou incrível! Eu também passei pela fase de escrever os acontecimentos do dia (tinha um diário onde escrevia até em código, haha), pelo fake (saudades Brooke Cherry ♥) e também por diversos blogs! Acho incrível esse poder que a escrita tem e, principalmente, dos blogs. Podemos ajudar, influenciar, estar no dia de alguém que não temos ideia, tanto no Rio quanto no Acre! É simplesmente incrível e ~mindblowing~ pensar nisso 🙂
    Eu adoro os seus textos, são tão lindos e tocam tanto na emoção ♥

    Beijo! ♥

  6. Me identifico muito, Clara! Passei pelos mesmos caminhos, desde diário, fake, escrever para mim (tanto que em muito tempo de blog eu não queria mostrar para ninguém) e depois percebi que isso era egoísmo. O poder das palavras é lindo, podemos influenciar coisas boas e ser influenciados. Ler blogs faz com que eu me sinta mais inspirada, mais leve e já me trouxe muitas amigas.

    Parabéns pelo texto <3

    1. Nossa que incrível ler isso de você! Fico feliz que você tenha decidido compartilhar todas as suas experiências com a gente. ♥ É muito importante fazer disso um meio de comunicação informativa e que ajude outras pessoas. Obrigada pelas suas palavras ♥

  7. Lindas suas palavras, me identifiquei em cada uma delas. Fakes? Quem nunca? Tão bom conhecer mais pessoas com esta paixão. Cada dia que passa amo mais a blogosfera e toda essa teia e conexão maravilhosa que ela trás.
    Charme-se

  8. Eu simplesmente não consigo imaginar a dimensao que o q escrevo pode ter. É como soltar ao vento. Às vezes a gente consegue tocar o coração de alguém que tanto precisava daquelas palavras e nem ficamos sabendo. É um dom maravilhoso.
    Amei demais o seu texto <3
    Eu já tive fake uma vez, mas era divertido, era mais o prazer de criar uma personagem… se soubesse naquela época que já era sinal de um livro não iria acreditar!
    Um beijo grande floooor, que seu blog ajude muita gente
    <3

    1. SÉRIO QUE ERA O SINAL DE UM LIVRO ? Por favor, compartilha isso comigo aí. Quero saber um pouco mais sobre o assunto. hehehe Nossa eu era viciada em fake, vivia ali, amava criar personagens, histórias que eu inventava. Não existe melhor fase. Para mim foi um incentivo a minha criatividade, até extrapolava nas ideas. HAHAHAHA

      Nossas palavras tocam pessoas quando a gente menos espera. ♥

  9. Que post mais lindo, Clara! ♥ Bons tempos dos fakes, hahaha. Eu lembro que eu tinha, mas era mais pra fuçar coisas, não sabia dessas ações e tal, hahahaha. A gente começa a escrever sem ter mesmo noção da dimensão e das pessoas que pode alcançar, isso é muito doido. Amei seu texto!

  10. amei o post, miga ♥ ficou lindo! acho que a escrita tem um poder enorme e você sabe usar isso muito bem, ainda mais combinado com suas fotos lindas. inspira e encanta muita gente! e eu tb tive fakes quando era mais nova, mas não cheguei a explorar tanto esse universo, HAHA

  11. já falei que você é muito fofa hoje? não? então lá vai: você é muito fofa ♥
    é isso, sabe? a partir do momento que você entende como pode ser uma referência verdadeira pras pessoas, nossa… as decorrências são inúmeras e eternas. e só vem coisa boa em resposta, né? ♥

  12. Esse texto transmitiu tanto uma verdade que também é minha que fiquei emocionada, sério. Não conhecia o blog, acabei chegando aqui enquanto fuçava quem comentava o blog lindo da Melina Souza (hihi) e nem esperava ler um texto tão incrível. <3

    PS: o link do Vai Um Café? não está mais disponível 🙁

    Beijos,
    literarizandomomentos.blogspot.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.