bem vindo agosto

Ok, ok. Sei que você que me acompanha merece uma justificativa pelo sumiço. Talvez até eu mesma devesse entender melhor qual foi a razão do meu sumiço. A verdade porém, é uma coisa que me distância um pouco do blog. A verdade está mais atrelada a um ciclo vicioso que já se tornou rotineiro para mim e quanto mais tentava me desvencilhar dessa crise, mais me tornava parte dela. Adicionava um gole profundo de pensamentos adversos. E, então como um passe de mágica da mesma forma que veio me visitar, esses pensamentos foram embora sem um pretexto qualquer.

Até agora,
você não deve estar me entendendo. Na verdade nem precisa tentar entender (afinal você já tentou acompanhar um raciocínio de uma pessoa que voa de um pensamento para o outro ao passe da luz? É cansativo. Não tente!). Mesmo assim estou aqui tentando justificar o injustificável, o mal de toda uma geração. A crise existencial. Aquela que aparece como um parante que você não quer ver pois está com pressa para ir pagar a conta, mas que mesmo assim decide ficar pro café da tarde – sem ser convidado. O primeiro pensamento é “merda“. Assim, desse jeito. E eu sei que não deveria usar uma palavra como essa, mas é exatamente ela que pensamos para começo de conversa.

 

Pois é.

 

 

A crise existencial me pegou de jeito em julho e olha que coisas bem legais aconteceram nesse mês para mim. O que torna toda essa conversa um pouco mais complexa, afinal eu não tive grandes motivos para ter ficado presa dentro do mundo que minha própria imaginação criou e que mesmo assim fiquei. Acho que tudo teve um princípio a partir de uma proposta de parceria que eu recebi (ok, agora você deve estar me achando bem louca) e que por alguma razão demorei para responder pois fiquei com medo. Não um medo do tipo “isso é golpe, corre bino“. Não! Antes fosse, porque esse tipo de medo significa que todas as células do meu corpo estavam tentando me proteger.  Foi mais um medo do tipo “acho que não sei se sou capaz de fazer isso…” medo do tipo “como vou falar que cobro um valor pra fazer isso?!” e de novo, medo do tipo “uaau…sinto que não tenho experiência para fazer isso.”

 

 

Foi uma bola sem neve, porque a falta de experiência me fez acreditar que eu não era boa para isso e aí foi se acumulando um monte de pensamentos esquisitos e que não merecem aparecer aqui. Por fim, depois de todo esse dilema, tive que inventar uma desculpa para mim mesma de que não estava escrevendo no blog pois estava cansada desse layout (o que não deixa de ser verdade, mas que agora eu sei que é uma baita de uma mentira!). Coloquei na minha cabeça que queria mudar e quis tanto mudar que não fiz nada. Depois inventei desculpas do tipo :

 

 

1. Ah! Mas esse fundo da minha página do facebook não está como eu quero.
2. Ah! Mas não consigo editar vídeo assim e nem colocar ícones no meu vídeo.
3. Ah! Queria tanto mudar a logo do meu blog.

 

Depois de tudo isso e todos esses pensamentos eu pude entender que nada disso importava. Eu não queria mais me sentir assim, como uma criança que precisa do pai para atravessar a rua mesmo sabendo que o sinal de pedestre está verde. Tendemos a acreditar que não somos boas, e eu digo no feminino mesmo. Mulheres sofrem uma pressão muito grande e que fazem elas se esforçarem 30 vezes mais que os homens só para provar que são capazes. Não sei porque, perdemos nossa coragem de vez em quando. Mas acredito que isso venha de gerações em gerações e que aos poucos vamos caminhando para chegar onde queremos e merecemos.

 

A crise existencial foi embora de maneira fugaz. Não deixou nenhum pingo de saudade.

 

Eu realmente, r e a l m e n t e, queria ter uma fórmula exata de como afastar a crise de vocês. Porém eu não tenho. Fui tentando lidar com ela um pouquinho aqui, tentando levantar minha auto estima um pouquinho ali. Recebendo uns comentários de pessoas queridas falando que se inspiraram em mim para fazer a transição capilar e seu big chop, pedindo ajuda de consultoria de moda (foram três amigas que pediram minha dica para estilo e eu fiquei bem surpresa com isso), recebendo outras propostas de parcerias, saindo e estando com meus amigos que me amam e tentam me animar, fazendo um tumblr com fotos que tiro e recebendo comentários e likes de pessoas que nunca vi na vida, saindo da minha zona de conforto (bastante!), tentando expandir meus horizontes e fazer coisas novas. Ou seja, um conjunto de coisas e pequenos detalhes que pareciam que iam fazendo um cafuné na minha cabeça quando os momentos de angustia batiam mais forte.
 Agora, aqui estamos dia primeiro de agosto de 2017 disposta a arriscar mais uma vez a fazer um #BEDA (postar todos os dias em agosto). O que não significa que vou conseguir fazer com maestria – afinal apesar de ter programado tempos antes que queria fazer o #B E D A, não adiantei nenhum tipo de post. Vai ser pura emoção, ou como uma amiga minha diz vou estourar pipoca de panela aberta. E sem essa de que o que vale é a intenção, porque li um post no facebook de que sagitarianos tendem a abandonar seus projetos no meio e eu não quero entrar para essa estatística.

 

O que tenho a acrescentar é que vai ser um BEDA diferente, sim senhor. Afinal, quero tentar misturar posts escritos com vídeos no meu canal do Y O U T U B E e se você não é inscrita, dá essa força para clarinha aqui e se inscreve lá. E quero trazer mais do conteúdo que vocês querem ver no blog, então esse é aquele momento em que abro espaço para pedidos. A palavra do mês para mim é : desafio. E espero que vocês embarquem nessa aventura comigo!
com amor,
Clara Rocha.

24 comentários sobre “bem vindo agosto”

  1. miga que post mais lindo <3 e que fotos mais lindas.
    Também passei por essa crise de blog e acredite, tbm dei uma balançada quando recebi duas propostas de parceria e como sempre eu fui falar pras meninas que eu achava que aquilo não era pra mim Mas aí a gente respira, se acalma, e as coisas acabam fluindo né?
    que bom que voce animou e boa sorte com o BEDA <3 já to ansiosa

    1. as vezes a gente recebe duvida um pouco da nossa capacidade né? mas o bom é que nós tentamos lutar contra isso e de certa maneira arriscamos. Podemos não saber as vezes agir da melhor forma possível mas sabemos que temos potencial para alcançar. ♥ obrigada pelos elogios amiga.

  2. Menina, que fotos maravilhosas são essas? Não tô sabendo lidar, é muita lindeza!
    Amei o post… que bom que a crise passou e espero que cê consiga fazer o BEDA… A mão tá coçando pra fazer aqui também, mas to com medo porque a minha rotina vai mudar totalmente esse mês e aí acho que vai ser muita coisa de uma vez, preciso ir com calma;
    Vou adorar acompanhar seus posts e vídeos…adoro sempre que vejo que tem post novo por aqui!
    Amei o post e as fotos, mais uma vez… Tô apaixonada!
    Beijos!

    1. Obrigada pelo elogio, eu vou tentar fazer com que esse beda seja tão bom quanto o outro foi para mim. Espero conseguir. ♥ E estou cheia de inspirações de fotos que quero fazer, tomara que dê crto. ♥
      essas fotos é um exemplo disso.
      Obrigada pelas palavras.
      E só se joga, as vezes vamos ficar cansada mas o cansaço é recompensado no final. ♥

  3. ah, amiga, você é tão maravilhosa ♥
    conheço bem essa crise, mais conhecida como ‘o ciclo do autoboicote que parece não acabar nunca’. acho que todo mundo vira prefeito desse lugar uma hora ou outra. mas o importante é você saber que tem saída e que você é muito mais capaz do que imagina. e eu tô sempre aqui pra te ajudar e incentivar como puder. vamos juntas, ok?

  4. Que post e fotos lindas! Também tenho me sentido bem assim recentemente, e deixando meu blog bem abandonado por isso. Estou no processo de criar uma identidade visual nova, pra ver se ajuda. Mas tô ansiosa pra te acompanhar aqui esse mês, mal posso esperar <3

    1. Acho que esse processo de criação de identidade visual é muito gostoso e faz com que a gente crie um gás a mais para nos mantermos motivados. Vale a pena investir uma atenção e um carinho para isso porque ai você volta com tudo.
      E fico feliz de saber que vai acompanhar ♥

  5. Eba! Adorei a ideia de intercalar textos e vídeos. Quero ver muitas fotos por aqui Clarinha!

    E sobre essas crises. Nem me fale. Acho que estou nela desde que me entendo por gente. Às vezes dá uma diminuída mas depois ela volta com força total…

  6. Clara, eu sei que tem dias (às vezes meses) em que parece que estamos perdidas, que rola aquele desânimo e que duvidamos de TUDO ~ mas eu só queria te lembrar que você faz um trabalho lindo, inspirador e cheio de verdade, e é isso que importa. Não se cobre tanto, acredite em você.

    Beijos e boa sorte com o BEDA. Vou te acompanhar, claro. :*

  7. Quanta foto linda, Clara! E texto lindo para refletir.
    Há dias que nada faz sentido na nossa vida e ficamos perdidas (comigo acontece com frequência). Aí eu respiro, converso, penso, leio e faço uma limpa nas coisas externas e começo a planejar e viver um novo momento. É preciso aceitar isso e viver em uma eterna auto- descoberta. ♥

    Seu tumblr está incrivel!

    Um beijo,
    Sté

    1. Nossa Sté! É bem isso mesmo temos que viver sempre nessa jornada por auto-descoberta. E respirar é sempre um dos melhores meios para aprender a lidar com a crise.

  8. fotos lindas, texto lindo (e entendo DEMAIS tudo que disse, eu vivo me sentindo desmotiva e arrumando desculpas pra adiar as coisas) já vou te seguir no tumblr e também quero dicas de estilo ♥ HAAHAH

  9. Que post lindo! Eu to esforçando pra acreditar que to saindo de uma crise agora (minha primeira com o outro blog). Ainda tá difícil e nada tá como eu quero, mas vamos seguindo.. 🙂 Força pra nós!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.